Mais de 8 mil pessoas nos arredores da Arena Tancredão em dois dias de Mini Desfiles em Vitória ES

327

#Fotos/Reportagem: Toninho Ribeiro

Foi realizado no sábado (26) a segunda e última noite do mini desfile das escolas de samba do Grupo Especial de Vitória.

Com a estimativa de mais de 8 mil pessoas transitando nos arredores e dentro da Arena Tancredão nos dois dias do Mini Desfile da Escolas de Samba do Grupo Especial de Vitória Es.

O Evento é uma realização da LIESGES Liga das Escolas de Samba do Grupo Especial e com a parceria do poder público e iniciativa privada, gerando mais de 400 canteiros de trabalhos diretamente ao evento.

ÚLTIMO DIA

As agremiações Pega No Samba, Chegou O Que Faltava, desfilaram debaixo de chuva, que mudava de intensidade várias vezes ao longo da noite.
A chuva deu uma trégua para os desfiles da Unidos da Piedade e Jucutuquara.

Os minis desfiles foi uma realização da LIEGES presidida por Édson Rodrigues de Freitas Neto.

A verdade é que tanto os desfiles da primeira noite e da segunda noite no Tancredão, fomentaram a economia para varias familias da grande vitória, que aproveitaram as duas noites dos desfiles para ganharem seu pão de cada dia.

Vejam o resumo das duas noites de desfiles da Arena Tancredão:

ANDARAÍ

 

A Cobra Coral de Santa Martha fo a primeira escola a pisar no Parque Tancredão, a Andaraí presidida por Thiago Bandeira, trouxe o enredo “Histórias que a vovó contava”, uma reedição do enredo de mesmo nome que a agremiação utilizou em 1991.
Na releitura, o carnavalesco Marcelo Braga buscou algo qualificado e que mantivesse a característica da Venenosa.

 

O samba-enredo também passou por adaptações para que pareça mais moderno. Querendo o seu lugar no Grupo Especial de volta, a Andaraí desfilou no brilho e no luxo durante todo o mini desfile.

A agremiação levou para a pista a banda de congo Panela de Barro, de Goiabeiras/Vitória, grande símbolo da cultura capixaba.

NOVO IMPÉRIO

 

Paulo Vitor Barbosa um dos melhores passistas do ES

Homenageando o município de Barra de São Francisco, localizado no noroeste do Espírito Santo, a Novo Império busca a oitava estrela com o enredo “Espírito guerreiro ancestral. Barra de São Francisco: a sentinela capixaba”.

 

Presidida por Vlamir Oliveira e contando com Márcio Puluker como carnavalesco, a família imperiana agitou o Parque Tancredão desde a concentração com sua bateria inconfundível.

BOA VISTA

 

Carregando a bandeira de Viana, cidade homenageada no enredo
“Viana divinamente brasileira”, a Boa Vista foi a terceira escola a pisar na avenida.
Presidida por Emerson Xumbrega, a escola de Cariacica renovou o contrato com o carnavalesco Robson Goulart e pretende ganhar a sétima estrela contando a história da cidade vizinha.

 


Um dos destaques no desfile da Águia Furiosa foi a estreia da rainha de bateria Wenny Isa.

MUG

 

 

Atual campeã do carnaval de Vitória, a Mocidade Unida da Glória trouxe novidades para o minidesfile, deixando o público boquiaberto.

Com o enredo “Massena: um olhar em aquarela”, idealizado pelo carnavalesco Petterson Alves, a agremiação, presidida por Robertinho da MUG, pintou a avenida em aquarela e deixou claro que quer levar mais um título pra casa em 2024.

 

Carro de som da Mug Pesadão

Um dos destaques no desfile do Leão da Glória também foi a estreia da nova rainha de bateria Layla Bastos.

PEGA NO SAMBA

 

A Locomotiva, presidida por Dannilo Amon, abriu a segunda noite de mini desfiles de um jeito diferente: a bateria.

A agremiação conta com o trabalho do carnavalesco Orlando Júnior e apresentou o enredo “Pérolas do deserto”.

 

Pela ironia do destino, a escola trouxe chuva para a avenida.
Investindo em alas coreografadas bem definidas e sincronizadas, a Pega No Samba mostrou porque merece estar no Grupo Especial e que veio para ficar. A Pega no Samba fez um mini desfile empolgado e sincronizado.

CHEGOU O QUE FALTAVA

 

 

A escola de Goiabeiras mostrou que vai brigar firmemente pelo título em 2024.
Presidida por Rafael Cavalieri, a Chegou O Que Faltava apresentou o enredo “Bravo! Abram-se as cortinas. O Glória em cena” que homenageia o Centro Cultural Sesc Glória, símbolo da cultura capixaba.

Apostando em fantasias luxuosas, a agremiação levou para a avenida todas as alas fantasiadas e, quase todas elas, coreografadas.

UNIDOS DA PIEDADE

A Mais Querida, presidida por Jocelino Junior, abriu o desfile com um espetáculo da bateria que deixou todos no Tancredão de boquiabertos.
Por meio das ideias do carnavalesco Wagner Gonçalves, a Unidos da Piedade apresentou o enredo “Quilombo Piedade”, que resgata a história dos ancestrais dos moradores da comunidade.

Um dos pontos fortes notados no desfile foi as fantasias e coreografias características da cultura afro. Maisa filha do presidente Jocelino Júnior de apenas 8 anos de idade roubou a cena na Arena Tancredão.

A Piedade veio volumosa, uma escola compacta era nitida a vontade dos componentes em lavar a alma na avenida.
A Piedade deu um grande recado na noite de sábado no Tancredão: Vai brigar pelo o titulo de 2024!

 

JUCUTUQUARA

MAURINHO CARNAVAL O MAIOR MESTRE SALA DE TODOS OS TEMPOS

Última escola a se apresentar no mini desfile, a Jucutuquara, presidida por Rogério Sarmento, trouxe o enredo “Gassho caminhos de sabedoria”. Contando com o trabalho do carnavalesco Osvaldo Garcia, a agremiação abriu a apresentação com o mascote oficial e símbolo do pavilhão: a coruja.

O samba-enredo de refrão fácil caiu nas graças do público, que no meio do desfile, já sabia cantar “Naquela montanha emana a paz / Tão bem que me faz, caminho de luz / Jucutuquara és o bem querer / Razão do meu viver”.