Assembleia aprova reajuste de salário para governador, vice e secretários

37

Apenas um dia após aprovarem reajuste de 5% no salário dos servidores do Estado, os deputados da Assembleia Legislativa do Espírito Santo (Ales) votaram e aprovaram, na sessão ordinária desta quarta-feira (29), o projeto de lei que garante o mesmo percentual de aumento nos vencimentos do governador, do vice e do secretariado estadual.

Agora, a matéria segue para sanção ou veto do chefe do governador do Estado, Renato Casagrande (PSB). Caso a proposta seja sancionada, o reajuste incidirá no contracheque de abril.

Atualmente, os subsídios do governador, vice e secretários estão avaliados em R$ 29.496,99R$ 26.801,03; e 23.470,72, respectivamente, segundo dados do Portal de Transparência do Executivo estadual.Com a revisão, os valores  serão atualizados para R$ 30.971,84; 28.141,08; e R$ 24.644,26, respectivamente.

O projeto prevê impacto financeiro estimado em R$ 428.603,50 por ano. Após  aprovação da matéria em plenário, parte dos parlamentares se manifestaram a respeito da iniciativa.

O deputado Mazinho dos Anjos (PSDB), que preside a Comissão de Constituição e Justiça na Casa explicou que o projeto não tratava de um aumento salarial específico para o governador e demais membros do alto escalão do governo, mas, sim, da mesma recomposição inflacionária concedida aos servidores.

Mazinho ainda pontuou que, caso os vencimentos do governador não fossem reajustados, categorias que possuem como “teto” remuneratório o salário pago ao mandatário seriam prejudicadas e poderiam ficar até sem revisão..

Única parlamentar a se manifestar contrariamente ao projeto, Camila Valadão (Psol) lembrou que foi concedido um reajuste de 16% para o governador e secretários no final do ano passado.

Para a deputada, não seria justo dar mais esse percentual de reajuste em tão pouco tempo para o governador e secretários, sendo que os servidores tiveram apenas os 5% aprovados na última terça-feira (28).

Já o deputado Lucas Polese (PL) afirmou ter votado favoravelmente ao projeto apenas para ajudar os servidores, “porque se fosse apenas por conta do governador, teria votado contra”.

Sergio Meneguelli (Republicanos), por sua vez, afirmou que concordava tanto com os posicionamentos de Camila quanto de Polese.

“Votei a favor para não prejudicar quem vai ficar sem os 5%. Já tivemos os 16% no ano passado. Em menos de quatro meses vão ter aumento maior que o dos servidores”, frisou o deputado.

*Com informações da Assembleia Legislativa do Espírito Santo