Justiça mantém afastamento de pastor, aumenta multa e fiéis protestam; veja vídeo

27

A 3ª Vara Cível de Vitória manteve a decisão de afastamento do pastor Usiel Carneiro da Igreja Batista da Praia do Canto, em Vitória, e ainda aumentou a multa, de R$ 5 mil para R$ 10 mil, em caso de descumprimento.

A Justiça também determinou que ele repasse as senhas dos canais e redes sociais da igreja em 48 horas.

A ratificação da decisão veio após o grupo de 25 ex-membros da igreja alegar que Usiel estaria descumprindo a decisão judicial, ao usar uma das redes sociais da igreja para se manifestar após o afastamento – também solicitado pelo mesmo grupo.

Assim que souberam da nova decisão da Justiça, membros da Igreja Batista da Praia do Canto decidiram protestar.

Eles levaram para o culto da noite de domingo (12) cartazes e faixas em protesto contra a decisão judicial e em apoio ao pastor Usiel.

Durante o culto, o Conselho da Igreja – na Igreja Batista, as decisões são tomadas por um conselho de membros – subiu ao púlpito e leu um comunicado para toda a igreja, lamentando a nova decisão.

“Há cerca de dois anos, um pequeno grupo de ex-membros da igreja vem de todas as formas trabalhando para trazer instabilidade para a igreja e retirar o pastor Usiel Carneiro de Souza, pastor eleito e mantido nessa igreja pela vontade da maioria dos membros. Mais uma vez estamos sendo atingidos por decisão judicial que produz mal-estar e impõe prejuízo à nossa caminhada como igreja”, disse Ademir Cardoso, 1º vice-presidente do Conselho.

E acrescentou: “Acreditamos na Justiça, não há razão que justifique o afastamento e muito menos a destituição do nosso pastor, como pretendem os que o acusam. Por isso cremos que superaremos mais esse percalço e em breve receberemos o nosso pastor e seguiremos sendo a igreja que Deus tem nos orientado a ser”.

Logo após o comunicado, houve uma pequena pregação do pastor auxiliar e, pedindo para encerrar a transmissão, uma mulher, fiel da igreja, convocou os demais membros para um ato em apoio ao pastor.

Os membros ocuparam toda a fachada do prédio e o canteiro central, entre as avenidas Rio Branco e Reta da Penha.

Aos gritos de “Não vamos nos calar, o amor prevalecerá”, os membros – cerca de 80% das pessoas que acompanhavam o culto – também levantaram as faixas sobre “liberdade religiosa”, e que a “IBPC apoia o pastor Usiel”.

Veja o vídeo:

Antes de protesto, Usiel fez

Neste domingo (12), antes mesmo de o protesto acontecer, Usiel fez uma live no Instagram onde demonstrou surpresa com a decisão judicial, publicada na noite da última sexta-feira, e afirmou que estava se preparando para retomar seus trabalhos à frente da igreja.

“Este final de semana eu estaria retornando a Vitória e retornando às minhas atividades pastorais, mas o Conselho da igreja, bem como muitos irmãos, receberam cópia de uma determinação judicial, tomada de maneira bem inusitada, porque foi assinada pelo juiz na sexta-feira já perto das 20h”, relatou.

Durante o vídeo, o pastor recordou a movimentação realizada por 25 ex-membros da IBPC, que pediam seu afastamento por divergências inconciliáveis com a doutrina batista.

no Instagram