Nova carteira de identidade deve ser emitida em todo o país o mais rápido possivel

1

O Distrito Federal e outros 14 estados da federação têm prazo de 15 dias,  até o próximo dia 6 de novembro para começar a emitir a nova Carteira de Identidade Nacional (CIN).

O novo documento não terá mais o Registro Geral (RG), apenas o Certificado de Pessoa Física (CPF), válido para todo o país. O documento está disponível em formatos físico e digital, a versão física é estampada em papel moeda.

O prazo de validade da nova CIN varia conforme a faixa etária, cinco anos, para crianças de até 12 anos incompletos,  dez anos, para pessoas de 12 a 60 anos incompletos e indeterminado, para quem tem acima de 60 anos

Atualmente, 12 estados já utilizam a CIN: Acre, Alagoas, Amazonas, Goiás, Mato Grosso, Minas Gerais, Pernambuco, Piauí, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Santa Catarina. A adesão começou em 2022, no Rio Grande do Sul. Até o momento, cerca de 2 milhões de novos documentos já foram registrados, e de acordo com o Ministério da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos, alguns estados ainda encontram dificuldades para a adesão.

O Rio de Janeiro já emite o documento para pessoas menores de 18 anos e a partir d 6 de novembro deve começar a emissão geral.

Já em São Paulo, o RG ainda devem ser emitido de forma concomitante à CIN também até 6 de novembro, informou o Ministério.

Acre, Alagoas, Amazonas, Goiás, Maranhão, Minas Gerais, Mato Grosso, Piauí, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e o Distrito Federal vão passar a emitir somente o novo documento de identificação.

De acordo com a ministra da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos, Esther Dweck, o novo documento trás diversas vantagens de poder reunir diversos documentos em um só.

“As crianças que nascem hoje já recebem um número de CPF e a ideia é que esse seja o único número de identificação, que vai permitir que a gente conheça melhor o cidadão brasileiro e aprimore a oferta de serviços públicos”, afirmou por nota.

“A carteira tem um QR Code que dará acesso às informações sobre o cidadão e em breve vai integrar outros documentos, como carteira de motorista, cartão do SUS, CadÚnico, uma série de serviços que estarão associados a essa carteira. Estamos trabalhando nesse processo de migração”, acrescentou a ministra.