7 Motivos que Consolidam Abraão como Favorito nas Eleições de Água Doce do Norte

141

 

A cada quatro anos, os moradores de Água Doce do Norte comparecem às urnas para eleger os líderes políticos que administram e fiscalizam a cidade. Em cinco meses, os 11.157 eleitores do município terão a responsabilidade de escolher o prefeito e os nove vereadores da Câmara Municipal. Há quem diga que o prefeito Abraão Lincon será reeleito com facilidade.

Essa parece uma consideração precoce e lembra a famosa frase de José de Magalhães Pinto, ex-governador de Minas Gerais: “Política é como nuvem. Você olha e está de um jeito, olha novamente e já mudou”. Metaforicamente falando, quem parece entender bem de previsões e aproveitar essas mudanças é o prefeito Abraão Lincon, um político experiente que não teme enfrentar tempestades. Vamos analisar setes razões que consolidam o atual gestor como o grande favorito nas próximas eleições.

 

1. Alta Aprovação na Gestão Atual

Pesquisas de opinião, métodos confiáveis e técnicos para avaliação da opinião pública, apontam para uma forte aprovação do prefeito Abraão Lincon. Recentemente, a IPOPES Pesquisas entrevistou 317 eleitores presencialmente, revelando que 71,29% aprovam a gestão do prefeito, e 67% afirmam que ele tem cumprido suas promessas de campanha. Segundo o cientista político Alberto Carlos Almeida, uma aprovação de até 45% já seria suficiente para garantir a viabilidade de um prefeito; Lincoln, portanto, supera essa marca com tranquilidade.

2. Unanimidade na Câmara Municipal

A constituição federal afirma que os poderes são independentes, mas ao mesmo tempo são harmônicos. A parceria entre os poderes é fundamental, e em Água Doce, o legislativo municipal tem sido coautor das realizações do executivo. O apoio unânime dos nove vereadores é um diferencial significativo para a reeleição do prefeito.

 

3. Amplo Apoio de Líderes Políticos Regionais e Famílias Tradicionais

O prefeito conta com o apoio de uma ampla frente de líderes políticos regionais e famílias tradicionais. Do distrito de Córrego Azul até a sede municipal, diversas lideranças têm se alinhado ao seu projeto político, fortalecendo sua base eleitoral. Não há espaço para citar todos e ainda esqueceremos de muitos, mas um exercício rápido demonstra a força do grupo político do prefeito Abraão. Começando pelo distrito de Córrego Azul, o grupo tem o vereador Hélio da Água, ex-vereador Passil, Ronaldo Leite, Chiquinho Monteiro, Eliana Louzada, Família do Zé Luzia, Gilmar Barra Mansa e a família do ex-prefeito Jailton Soares. No distrito de Santo Agostinho, os principais candidatos a vereador de 2020 estão na base do prefeito, o vereador João Madalena (502 votos), o vereador Roberto Azzini (188 votos), ex-vereador Sideum, Nelson Ribeiro (261 votos) e o líder Marreta. Além disso, o jovem Talles Victor, a família Lopes da Cruz (Querubim). Em Vila Nelita, o vereador Joazi, Tim, Beto e a família Andrade. Na sede, lideranças como o vereador Juninho Cabral, vereador Brum, Marlene Saturnino e família, Santana, Zé Binário, ex-vice-prefeito Didi, Clevernei, Lucas Verly, ex-prefeito Adilson e família, Beto e família Sigesmundo, Toninho Marinho e família, família Reinoso, Graça Portes e família, ex-secretário Flaires, Juvenil Braim, família Carvalho, Zeca, família Vitalino, Alonso Cordeiro e família, família Cerqueira. No Rio Preto e Café Ralo, o vereador mais votado do município, Eraldo é um dos cabos eleitores de Abrãao, a vereadora Vilma Assis, Marcelo Moura e família, Rodrigo Cigano, João do Telefone, Jairão, Pastora Irinéia e família Eronis e família e outras centenas de famílias no município.

 

4. Bloco Partidário

A janela partidária se encerrou, mas suas consequências ainda permanecem no cenário político. O período de mudança partidária para disputar a eleição pode ser resumido em uma palavra: “situação dramática”, conforme definido pelo policial militar conhecido como “Calango”. Em um vídeo de seis minutos, ele descreve o desespero, as dificuldades e a situação dramática enfrentadas pela chapa, criada precocemente, de Charles e Vailton nas últimas 48 horas antes do fechamento das filiações partidárias. Charles, então vice-prefeito, contava com a candidatura pelo partido Republicanos 10, mas foi surpreendido ao perder a presidência do partido para um aliado de Abraão, Gabriel Verly. Vailton, por sua vez, pretendia concorrer à vice-prefeitura pelo PSB 40, mas também perdeu o controle do partido. A situação resultou em uma derrota e desastre para o grupo de oposição, especialmente porque horas antes de perderem o controle do PSB 40 e do Republicanos 10, Charles e Vailton haviam gravado um vídeo alegando que permaneceriam e disputariam a eleição pelo PSB 40. Diante do desespero relatado no vídeo, Charles encontrou no PL 22 uma nova sigla para concorrer às eleições, mas isso pode gerar novos problemas, como será discutido a seguir.

5. Apoio Político Estadual e Federal

O prefeito também se beneficia do suporte do governador Renato Casagrande e de diversos deputados federais e estaduais. Esse apoio é reflexo da quantidade sem precedentes de investimentos públicos que o município tem recebido, uma parceria que tem beneficiado diretamente a população. Outro apoio relevante é dos deputados federais, como do Deputado Federal Da Vitória, Gilson Daniel e Messias Donato, além do apoio do deputado estadual Mazinho dos Anjos. O ex-deputado estadual Renzo Vasconcelos, presidente do PSD 55, e o vice-governador Ricardo Ferraço, presidente do MDB, também confirmaram apoio ao atual prefeito. De forma indireta, outros agentes políticos estarão no palanque do prefeito, isto será explicado no próximo motivo.

 

6. Desorganização do Grupo Opositor e Erros Passados

A última eleição municipal foi marcada por muitas emoções, incluindo trocas de candidaturas. A chapa Merçon e Kelmy desistiu após enfrentar dificuldades para se viabilizar. Jacy Donato retornou dos Estados Unidos e não pôde se candidatar, e Vailton, sendo a última opção disponível, candidatou-se a prefeito de última hora — você já conhece o resultado final. Recentemente, Merçon tentou novamente se lançar a prefeito, mas desistiu diante das dificuldades em competir com o atual prefeito Abraão. Após sua desistência, os empresários Santana e Wanderson surgiram como os principais nomes para liderar o grupo, mas conflitos e traições nas alianças causaram o afastamento entre os dois. Segundo conversas privadas, Charles teria minimizado a importância política de Santana através de uma mensagem de WhatsApp. Como dizia Cazuza, “eu vejo o futuro repetir o passado”. Sem mencionar detalhes específicos, uma fonte anônima revela que “a atual dupla não deve conseguir registrar a candidatura”. Um conhecedor do direito foi enfático ao afirmar que problemas jurídicos comprometeram a campanha de oposição no passado e que isso representa um risco para o futuro dos novos pré-candidatos.

7. A Desconfiança

A desconfiança na fidelidade de Charles Felisbino ao grupo de oposição cresce a cada dia. O agora ex-aliado de Abraão, com quem caminhou lado a lado por décadas, rapidamente assumiu o controle do grupo em poucos meses. Isso levanta a questão: o que motivaria alguém que andou com o atual prefeito por tanto tempo, ocupou o cargo de vice-prefeito e liderou a Secretaria de Agricultura, a romper a aliança nos últimos anos antes da eleição? Embora não tenha feito declarações explícitas, Charles só romperia com Abraão com a intenção de disputar o cargo principal, razão pela qual convenceu Vailton a se tornar vice-prefeito, apesar de ser ele o principal líder da oposição.

Favoritismo

Em resumo, a combinação de fatores como a alta aprovação de sua gestão, o suporte unânime da Câmara Municipal, o robusto apoio de líderes políticos e famílias tradicionais, a estratégia partidária bem-sucedida, o respaldo estadual e federal, e as falhas dos opositores, solidifica a posição de Abraão Lincon como o principal candidato nas próximas eleições de Água Doce do Norte. Outro benefício que surge disso é que o candidato favorito atrai aqueles interessados em se beneficiar de alguma forma nos próximos quatro anos. Com a eleição se aproximando, essas forças combinadas não apenas destacam o favoritismo de Abraão, mas também prometem um clima mais ameno e menos conturbado para as eleições, indicando que é pouco provável que ocorram conflitos intensos.